Coleção de Vinil

domingo, 22 de dezembro de 2013

Discografia 09 | Discografia Krokus

Devido a falta de tempo, não consegui mais escrever resenhas para o blog. Porém, na medida do possível vou postando novas resenhas, afinal não gosto de apenas trazer um informação qualquer sobre o disco ou banda, prefiro abordar o contexto do álbum, a história da banda. Enfim, hoje resolvi falar de uma banda que conheci há uns três anos, depois de já ouvir em demasia ACDC, Twisted Sister, Scorpions, e muitas outras excelentes bandas do bom e velho Hard Rock. Para o post Discografia, trago o Krokus, banda que muita gente não conhece, mas importantíssima no cenário do Hard Rock na década de 1980 e que ainda está em atividade, assim como o Quiet Riot.
Krokus é uma banda de Hard Rock e Heavy Metal da Suíça. As vendas da banda passam, conforme estimativas, dos 30 milhões de álbuns vendidos no mundo todo, incluindo um disco de platina e outro de ouro nos Estados Unidos.
Remo Spadino (baixo), Hansi Droz (guitarra),
Chris Von Rohr (bateria e vocal) e Tommy Kiefer (guitarra)
Foto: http://krokusonline.seven49.net/
A banda é originária de Solothurn, cidade Suíça, contando com Chris Von Rohr (vocals), Fernando Von Arb (guitarra), Jörg Nägeli (baixo), Tommy Kiefer (guitarra) e Freddy Steady (Bateria). Eles apareceram no cenário por volta de 1974, e faziam um rock progressivo daqueles de fazer inveja aos Ingleses. Lançaram dois álbuns que não chamaram quase nenhuma atenção: Krokus (1976) e To You All (1977).

Chris Von Rohr (vocal e percurssão), Fernando Von Arb (guitarra),
Tommy Kiefer (guitarra), Freddy Steady (bateria) - Juerg Naegeli (baixo)
Foto: http://krokusonline.seven49.net/
Ficou decidido então que a banda mudaria os rumos. Eles lançam o álbum “Pain Killer / Pay It In Metal” (1978) e o resultado foi bem melhor, lembrando o estilo do AC/DC e do Slade.
Chris von Rohr, que costumava ser baterista se tornou vocalista no meio dos anos de 1970. Com esta formação, eles fizeram grande sucesso na Suíça e excursaram por todo país. Depois de verem um concerto de AC/DC, a banda decidiu mudar definitivamente para o Hard Rock.

Fernando Von Arb, Chris Von Rohr, Juerg Naegeli, Tommy Kiefer e Freddy Steady
Foto: http://krokusonline.seven49.net/
Já corria o ano de 1979, quando Chris resolve deixar a banda para investir em novos projetos e além disso não conseguia alcançar a terceira oitava, então a banda decidiu procurar por outro vocalista. Eventualmente, Marc Storace das bandas TEA e Eazy Money fora demitido e entrou na banda para gravar o álbum "Metal Rendez-vous" ("Heatstrokes" e "Tokyo Nights") e, com esse álbum, Krokus conseguiu reconhecimento internacional.



O Krokus obteve grande popularidade nos anos 80 em algumas partes da Europa e dos Estados Unidos. Fizeram turnê com bandas como Nazareth na Europa e AC/DC, Motörhead, Rainbow, Rush, Def Leppard, Judas Priest e Sammy Hagar nos Estados Unidos.

 Tommy Kiefer (guitarra), Freddy Steady (bateria),
 Marc Storace (vocal), Chris Von Rohr (baixo) e Fernando Von Arb (guitarra)
Foto: http://krokusonline.seven49.net/
O álbum seguinte, "Hardware" de 1981, foi gravado nos Estúdios Hammersmith em Londres e contou com músicas como "Easy Rocker" e "Rock City" que continuam fazendo parte do repertório ao vivo da banda até os dias de hoje.



Em 1982, com um novo empresário americano, Krokus gravou o álbum "One Vice at a Time" que contém grandes hits como "Long Stick Goes Boom", o cover do The Guess Who "American Woman" e o dueto com Bruce Dickinson do Iron Maiden "I’m on the Run". Chris von Rohr descreve este álbum como “o álbum que AC/DC nunca gravou”, a similaridade de Krokus com a banda australiana neste álbum é grande. Este fato causou dúvidas quanto à criatividade da banda e muitas pessoa consideraram a banda como “cópia”. Apesar disso, Krokus foi se tornando cada vez mais popular na Europa e, principalmente, nos Estados Unidos.



O álbum seguinte, "Headhunter" (1983), foi muito elogiado e conseguiu o status de disco de platina nos Estados Unidos e conseguiu chegar a 25ª colocação nas paradas. É o álbum de maior sucesso de Krokus até hoje e é amplamente considerado como a maior realização da banda. Porém, todos os álbuns de Krokus conseguiu a platina na Suíça. Headhunter foi muito valorizado pela balada "Screaming in the Night", que ganhou bastante destaque na MTV. Rob Halford, do Judas Priest forneceu os backing vocals para a canção "Ready to Burn". “Headhunter” alcançou a 25º posição nos charts, mas as mudanças na banda continuaram.


Foi a fase mais confusa da carreira. Para se ter idéia, até o ex-vocalista Chris Von Rohr retornou por um breve período, mas ele veio para tocar baixo. Em meio a toda aquela confusão saiu “The Blitz” (1984) ("Ballroom Blitz"), que apesar de ter fugido um pouco ao estilo da banda, alcançou a 31º posição nos charts americanos. No ano seguinte, a banda se arrumou. Tommy Keiser (Ex-Cobra) se tornou o baixista, e Mark Kohler, que não havia participado do último disco, retornou ao posto.


Em 1986, o Krokus jogou mais um álbum na praça “Change of Adress” ("Burning Up The Night"), num estilo novamente americanizado,  trazia um cover de Alice Cooper "School's Out", talvez visando puxar um saco dos Americanos. A média parece que deu certo, pois o disco teve boa repercussão e foi lançado inclusive aqui no país do samba. Aproveitando que a maré estava boa, ainda em 1986, eles lançam mais um disco “Alive n´Screamin”, foi o último disco com a BMG.


O próximo álbum seria batizado de “Heart Attack” ("Let it Go") e foi editado em 1988 pela MCA. Mas apesar de ser excelente, o álbum não rendeu o que o selo queria, a banda partiu para a Phonag, onde lançou três discos: “Stampede” (1990) ("Street Love"), “To Rock or Not To Be” ( 1995) ("Lion Heart"), “Round 13” (1999) (. Devemos ressaltar que nestes últimos discos, a banda já não contava mais com seu idealizador Fernando Von Arb e o line-up contava com músicos totalmente desconhecidos que não duraram muito.



Em 2000, a banda solta “The definitive Collection”. Como o próprio nome diz, deveria ser a coletânea definitiva da banda.
Many Maurer, Fernanando Von Arb, Chris Lauper, Carl Sentance e Cliff Rodgers
Foto: http://krokusonline.seven49.net/
Com a entrada do novo milênio, Storace e Von Arb unem as forças novamente e lançam o álbum “Rock The Block” (2003) ("Mad World"), que satisfaz as expectativas. Eles começam a fazer uma grande turnê. Foram acompanhados pelos músicos Tony Castell, Patrick Aeby  e Dominique Favez.


Em 2005 o guitarrista de longo tempo da banda, Fernando von Arb deixou a banda depois de uma cirurgia por problemas no pulso. Mandy Meyer, que já tinha tocado com a banda nos anos 80, substituiu Fernando na formação da banda. Com a nova formação a banda gravou o álbum "Hellraiser" ("Hellraiser") em 2006: promovido a disco de ouro no na Suíça no primeiro dia de vendas e recebeu críticas positivas por parte da imprensa. Em uma entrevista de 2008, Marc Storace disse que a banda estava de tornando cada vez mais metal.


Em 2007, a formação com Chris von Rohr, Fernando von Arb, Fready Steady and Marc Storace se reuniu para tocar "Tokyo Nights", "Bedside Radio" and "Heatstrokes" durante o programa de TV suíço Die grössten Schweizer Hits. Este evento "quebrou o gelo" entre os integrantes da formação de 1982 que, em 2008, anunciaram um show de reunião.
Em abril de 2008, foi anunciado que a formação clássica da banda com Chris von Rohr, Fernando von Arb, Fready Steady and Marc Storace estaria se reunindo para gravar um novo álbum de estúdio em 2010 com uma turnê para suporte. Em 2 de agosto de 2008, a banda tocou ao vivo no Stade de Suisse em Berna.
Em 2009, a banda tocou o hino oficial do campeonato de hóquei no gelo 2009 IIHF World Championship que ocorreu em seu país natal Suíça. O nome da canção é "Live for the Action".
Em 3 de março de 2010 lançaram "Hoodoo" ("Hoodoo Woman" e "Too Hot"), incluindo um cover do clássico do Steppenwolf  "Born To Be Wild". O álbum conta com uma versão “especial” do álbum que vem junto com um DVD com imagens de concertos.



Em fevereiro de 2013, o Krokus lançou o seu mais novo e eletrizante álbum “Dirty Dynamite”. O disco marcou o retorno do guitarrista Mandy Meyer, que estava fora do grupo suíço havia 30 anos. Completam a formação Marc Storace (vocal), Fernando Von Arb e Mark Kohler (guitarras) e Chris Von Rohr (baixo). Com a saída de Freddy Steady, em 2011, o Krokus tem tocado com bateristas provisórios, incluindo Kosta Zafiriou, do Pink Cream 69.
A forte influência de AC/DC - que a banda nunca chegou a negar, inclusive dando declarações incentivando essas comparações - já é percebida nos primeiros acordes de “Halleluja Rock n’ Roll”, que abre muito bem o disco. “Go Baby Go” e “Rattlesnake Rumble” são boas músicas e mantém a mesma pegada Hard Rock dos anos de 1980. A faixa título "Dirty Dynamite" é um dos destaques do disco, com uma boa performance do vocalista Marc Storace e um refrão empolgante.


"Let The Good Times Roll" recoloca o álbum no pique mais rápido. “Help” é o momento mais belo do disco. O clássico dos Beatles ganha uma roupagem de balada oitentista com Tommy Heart, mais conhecido pelo seu trabalho com o Soul Doctor e Fair Warning, ajudando com os vocais. "Better Than Sex" faz retornar aquele Hard Rock mais bruto, com excelentes partes no baixo de Chris. Em "Dog Song" a banda não deixa o ritmo cair num Hard Rock básico e funcional assim como em "Yellow Mary". E ainda temos mais Rock'n'Roll excepcional nas faixas "Bailout Blues"  e seu refrão pegajoso e na brilhante "Live Ma Life". E pra encerrar, "Hardrocking Man" com seu clima Rock/Blues de primeiríssima linha.
Dirty Dynamite é um disco empolgante, que resgata a história de uma excelente banda da década de 1980. Porém, aqui no Brasil poucas pessoas conhecem a banda, quem dirá esse formidável álbum. O mesmo acontece com o Gotthard, outra magnífica banda de Hard Rock também da Suiça.


Por quase 40 anos, o Krokus é sinônimo de alta qualidade e do poder do Hard Rock. Não existe nenhuma outra banda de rock Suiça que vendeu álbuns em todo o mundo, chegando a mais de 14 milhões de discos e recebendo vários discos de ouro e disco de platina, incluindo o EUA e Canadá. Os marcos na sua carreira estão espalhadas ao redor do mundo: Austrália, EUA, México, a Rússia, o Japão e China. Mas nem sempre tudo foram flores da carreira da banda: os conflitos internos levaram a banda à beira do colapso. Pontilhada de altos e baixos, shows estádio e shows em clubes, estes cinco mosqueteiros do rock já superaram as expectativas e sobreviveram a momentos difíceis, maus negócios, advogados obscuros, drogas, viagens de ônibus intermináveis e gravadoras ruins. Hoje eles estão de volta em seu line-up clássico. A banda passou  dois anos trabalhando no novo álbum sob o olhar atento do baixista e fundador original Chris Von Rohr. "Nós não vamos gastar todo esse tempo em campos de golfe ou tênis. Não, nós só queremos fazer o melhor álbum, o magnum opus de uma nova era do Krokus", diz o produtor. O guitarrista Mark Kohler ainda a acrescenta: "Este não é apenas mais um álbum do Krokus. Eu acho que nós definitivamente temos mais um marco na história do rock com esse álbum. "
Enfim, O Krokus voltou às suas raízes, de volta para onde tudo começou com os Stones, os Beatles, The Who e The Bluesbreakers e o mais importante, continua na ativa nos presentando com o "Dirty Dynamite".

Formações
1976 - Krokus
Chris von Rohr
Hansi Droz
Remo Spadino
Tommy Kiefer

1977 - To You All e 1978 - Pain Killer
Chris von Rohr
Fernando von Arb
Freddy Frutig (Freddy Steady)
Jürg Naegeli
Tommy Kiefer

1980 - Metal Rendez-Vous e 1981 - Hardware
Chris von Rohr
Fernando von Arb
Freddy Frutig (Freddy Steady)
Marc Storace
Tommy Kiefer

1982 - Headhunter
Chris von Rohr
Fernando von Arb
Marc Storace
Mark Kohler
Steve Pace

1984 - The Blitz
Fernando von Arb
Jeff Klaven
Marc Storace
Mark Kohler

1986 - Alive And Screamin' e 1986 - Change Of Address
Fernando von Arb
Jeff Klaven
Marc Storace
Mark Kohler
Tommy Keiser

1988 Heart Attack
Chris von Rohr
Dani Crivelli
Fernando von Arb
Marc Storace
Mark Kohler

1991 - Stampede
Fernando von Arb
Many Maurer
Peter Haas
Peter Tanner
Tony Castell

1995 - To Rock Or Not To Be
Fernando von Arb
Freddy Frutig (Freddy Steady)
Many Maurer
Marc Storace
Mark Kohler

1999 - Round 13
Carl Sentance
Chris Lauper
Fernando von Arb
Many Maurer
Peter Haas

2003 - Rock The Block e 2004 - Fire And Gasoline Live!
Dominique Favez
Fernando von Arb
Marc Storace
Patrick Aeby
Tony Castell

2006 - Hellraiser
Dominique Favez
Mandy Meyer
Marc Storace
Stefan Schwarzmann
Tony Castell

2010 - Hoodoo
Chris Von Rohr (vocal e baixo)
Fernando Von Arb (guitarra e vocal)
Freddy Steady
Marc Storace (vocal)
Mark Kohler (guitarra)

2013 - Dirty Dynamite
Chris Von Rohr (vocal e baixo)
Fernando Von Arb (guitarra e vocal)
Marc Storace (vocal)
Mark Kohler (guitarra)
Dani Löble (Bateria - emprestado do Helloween)

Discografia

Álbuns de estúdio
Krokus (1976)
To You All (1977)
Painkiller / Pay It In Metal (1978)
Metal Rendez-vous (1980)
Hardware (1981)
One Vice at a Time (1982)
Headhunter (1983)
The Blitz (1984)
Change of Address (1986)
Heart Attack (1988)
Stampede (1990)
To Rock or Not to Be (1995)
Round 13 (1999)
Rock the Block (2003)
Hellraiser (2006)
Hoodoo (2010)

Álbuns ao vivo
Alive & Screamin' (1986)
Fire and Gasoline (2004)

Fotos dos vinis
















Fotos: Diego Kloss

Informações do site oficial da banda: http://krokusonline.seven49.net/

Nenhum comentário:

Postar um comentário