Coleção de Vinil

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Coleção 18 | Full Moon Fever (1989) - Tom Petty

Ano: 1989
Gravadora: MCA
Gênero: Country Rock, Southern Rock, Rockabilly e Blues Rock
Obs: o álbum não está a venda.

No post Coleção de hoje, vou tratar de um álbum e cantor não muito conhecido, pelo menos aqui no Brasil. Pesquisei bastante para achar algum material para dar base a minha resenha, mas achei bem pouca coisa e por esse motivo acabei acrescentando minha impressão pessoal sobre o álbum. Estou falando de "Full Moon Fever" do músico, compositor e cantor de rock estadunidense Tom Petty.
Ele é o fundador, líder e vocalista da banda Tom Petty and the Heartbreakers. Também foi integrante do supergrupo Travelling Willburys, na década de 80. Sua antiga banda se chamava Mudcrutch (1969-1975, 2008-atualmente), e hoje é um de seus projetos paralelos.
Ao longo de sua carreira, Petty gravou um grande número de hits com os Heartbreakers ou em carreira solo, muitas delas são tocadas frequentemente nas rádios americanas. Sua música se tornou popular entre as jovens gerações e atualmente ele continua a realizar shows com ingressos esgotados. Petty já vendeu, ao todo, 60 milhões de álbuns em sua carreira. Em 2002, Tom Petty & the Heartbreakers foram introduzidos no Rock and Roll Hall of Fame e já possuem sua estrela na Calçada da Fama de Hollywood desde 1999.
Tom Petty nasceu e cresceu em Gainesville, Flórida, e se formou na Gainesville High School. Seu interesse pela música, e em especial pelo rock and roll, começou quando ele conheceu Elvis Presley em 1961, quando este foi a Ocala, Flórida, para trabalhar em seu filme ''Follow That Dream''. Petty também disse em entrevista, muitos anos mais tarde, que percebeu que queria estar em uma banda de rock a partir do momento em que viu os Beatles tocando no "The Ed Sullivan Show". 
Um dos seus primeiros professores de guitarra foi Don Felder, que mais tarde viria a se tornar integrante dos Eagles. Tom tinha uma relação desgastada com seu pai, Earl, que não aceitava que seu filho fosse "um garoto interessado em artes" e o submetia a agressões verbais e físicas. Petty era muito próximo de sua mãe e de seu irmão Bruce. Ainda quando era adolescente, Tom Petty trabalhou na Universidade da Flórida, apesar de nunca ter estudado lá.
Nos primeiros anos como músico, Petty tocou em uma banda conhecida como The Epics que depois evoluiu para Mudcrutch. A banda contava com futuros membros dos Heartbreakers, Mike Campbell e Benmont Tench e eram muito populares em Gainesville. Suas canções, no entanto, passaram despercebidas pelo público mainstream.
Depois de se mudarem para Los Angeles em 1975, Mudcrutch se dividiu e Petty se recusou a seguir carreira solo. Eventualmente, Tom, Mike Campbell e Benmont Tench trabalharam com Ron Blair e Stan Lynch, resultando na primeira formação dos Heartbreakers. O álbum de estréia (auto-intitulado), de 1976, obteve pouco sucesso nos EUA, ganhando maior repercussão na Grã-Bretanha. Após uma turnê no Reino Unido, o single "Breakdown" foi re-lançado em 1977 e finalmente alcançou a posição 40 nas paradas norte-americanas.
O segundo álbum, "You're Gonna Get It" de 1978, marcou o primeiro Top 40 da banda e contou com os singles "I Need To Know" e "Listen To Her Heart". Em seguida veio "Damn The Torpedoes", em 1979, que se tornou disco de platina vendendo cerca de 2 milhões de cópias. Esse último trouxe grandes sucessos na carreira do grupo, como "Refugee", "Don't Do Me Like That" e "Here Comes My Girl".


Em 1981, veio o álbum "Hard Promises", que entrou no Top 10 das paradas e trouxe o grande single "The Waiting". Este álbum também contou com um dueto "Insider" que Petty fez com Stevie Nicks.
Em 1988, Petty forma uma mega banda composta por Bob Dylan, Jeff Lynne (ex-Love e ex-Elo), Harrison e Roy Orbison (retirado de um ostracismo de 15 anos, causado por tragédias pessoais).
Por problemas contratuais com suas respectivas gravadoras, o quinteto não podia assinar o disco com seus verdadeiros nomes e eles tornavam-se, momentaneamente os irmãos Lucky (Dylan), Otis (Lynne), Nelson (Harrison) e Lefty Wilbury (Orbison), acrescidos do primo mais novo, Charlie T. Jnr (Petty).
O supergrupo lançou no mesmo ano "The Traveling Wilburys" e a provável razão de seu sucesso é que não se criou muitas expectativas, já que tudo foi mantido no maior sigilo possível.
Com a popularidade dos Wilburys, que não podia excursionar, Petty tornou-se um artista conhecido mundialmente, o que não havia conseguido plenamente com seus álbuns com o Heartbreakers. Aliás, não foi só Petty e Orbison que aproveitaram a onda Wilburys. Harrison lançou o lindo Cloud Nine (1987) e  Dylan, Oh Mercy (1989).


Assim Tom Petty lançou também seu primeiro álbum solo, o  magnífico "Full Moon Fever", que ainda apresenta contribuições de membros de sua banda de apoio os Heartbreakers. O registro mostra Petty explorando suas raízes musicais focadas no Country Rock e no Southern Rock. A composição das faixas foi feita em parceria com Lynne, que também era produtor do álbum. O álbum se tornou um sucesso comercial e de crítica atingindo o número 3 na Billboard 200 e sendo certificado 5 × platina nos Estados Unidos e 6 × platina no Canadá. 
A crítica chamou o álbum de "obra-prima secundária", porém essa avaliação foi se esvaindo conforme o álbum adquiria sucesso. A revista Rolling Stone afirmou que "Full Moon Fever" era um " álbum solo magistral sendo classificado no 92º na lista dos 100 melhores álbuns da década de 1980.
A música de abertura , a delicada "Free Fallin'", não é apenas o destaque em Full Moon Fever, mas também uma das mais concisas. Ao longo de um espiral de guitarras acústicas, Petty canta o conto de um amante abandonado. Sua história é cheia de inconsistências internas que servem para sublinhar dúvidas do personagem (se ele não sente falta dela , por que todo o primeiro verso sobre ela?). Petty praticamente chora quando ele invade o coro, estendendo alguma redenção para seu narrador. Mas, depois de uma pausa, ele se entrega: "Ele não é livre , ele é meramente queda livre". Embora suave almofada de apoio vocal de Lynne Petty , tanto quanto possível , esta é uma história que não tem um final feliz. Petty começa o álbum com uma grande progressão de acordes chave que continua através de quase toda a música. As letras pintam um retrato da vida americana e o refrão faz você querer simplesmente pegar a estrada com as janelas abertas com essa música explodindo.



A segunda música do álbum "I Won't Back Down" como o título sugere,  consiste em um personagem que parece continuar enfrentando muitos problemas, mas declara nunca desviar-se de seu caminho para a felicidade. Petty disse em entrevistas que estava inicialmente preocupado com o discurso verdadeiro da música, mas decidiu optar pela honestidade pessoal como uma virtude e não como um defeito.


"Love Is a Long Road" parece uma espécie de mistura para o resto do álbum. Petty conta a história de um romance com uma melodia de guitarra e acorde de teclado pulsante e algumas linhas de baixo. É uma boa canção, mas não se destaca da mesma forma como as duas primeiras faixas.


A música mais lenta "Face in the Crowd" tem um violão dedilhado sinuoso, mas o foco é a letra. O personagem possuía uma vida sem relevância e se declara para amada dizendo que antes de conhecê-la ela era apenas um rosto na multidão.


A infernal "Runnin 'Down a Dream" oferece um solo perfeito de Campbell,  além de versos improvisados inesperados. A canção tem o casamento perfeito entre letra e música para ilustrar a busca incessante de um sentido para vida, mesmo que o destino ainda não esteja claro.



No lado B temos "I'll Feel a Whole Lot Better", que nada mais é do que um cover do The Byrds, porém Petty fornece uma tomada mais entusiasmada nos vocais e uma visão irônica de romance nas letras.
As farpas atingem o seu auge em "Yer So Bad" que soa mais Folk Rock , mas também se engaja em alguma nostalgia, algo parecido com canções mais Rockabilly de Buddy Holly. Na sequência, "Depending on You", traz os versos em que o personagem faz uma serenata para alguém como se quisesse dar conselhos ou conforto.


"The Apartment Song" é outro número mais Rockabilly, porém mais divertida, destacando o Blues de uma guitarra acústica e um contratempo da bateria, dando uma sensação de andamento acelerado.
"Alright for Now" é uma música lenta, com apenas Tom cantando e tocando uma progressão de acordes acústicos. A canção seguinte, "A Mind with a Heart of Its Own", possui uma letra meio sem sentido, parecendo um  fluxo de memórias. O álbum fecha com "Zombie Zoo" que fala sobre uma garota divertida, carinhosa, que poderia ser uma prostituta ou talvez apenas uma " rawker punk".


"Full Moon Fever" é um grande álbum, com letras e melodias empolgantes, com letras românticas e às vezes com um tipo de sarcasmo estranho. Além disso, pode ser considerado totalmente atemporal, pois ao mesmo tempo que as canções nos levam de volta para a década de 50 e 60, elas soam bens atuais, dando a impressão de que o álbum foi lançado recentemente.
Alguns ouvintes o apelidaram até de " Wilburys Volume 2 ", no entanto , "Full Moon Fever" foi feito pouco antes de "Wilburys Volume 1" e é certamente um dos álbuns mais populares e bem sucedidos de Tom Petty. 

Integrantes
Tom Petty: vocal e backing vocal, guitarras acústicas e elétricas de 6 e 12 cordas, teclados e percussão.
Mike Campbell: guitarra, bandolim, baixo, guitarra e teclados.
Jeff Lynne: baixo, guitarra elétrica, teclados e backing vocal.
Phil Jones: bateria e percussão.

Músicas
Lado A
"Free Fallin'" – 4:14
"I Won't Back Down" – 2:56
"Love Is a Long Road" (Mike Campbell, Petty) – 4:06
"A Face in the Crowd" – 3:58
"Runnin' Down a Dream" (Campbell, Lynne, Petty) – 4:23

Lado B
"I'll Feel a Whole Lot Better" (Gene Clark) – 2:47
"Yer So Bad" – 3:05
"Depending on You" (Petty) – 2:47
"The Apartment Song" (Petty) – 2:31
"Alright for Now" (Petty) – 2:00
"A Mind with a Heart of Its Own" – 3:29
"Zombie Zoo" – 2:56

Fotos do álbum


Fotos: Diego Kloss

Nenhum comentário:

Postar um comentário