Coleção de Vinil

sábado, 30 de agosto de 2014

Coleção 19 | Animal House (1987) - U.D.O.

Ano: 1987
Gravadora: RCA
Gênero: Heavy Metal
Obs: o álbum não está a venda

Na busca por novos sons, conheci há bem pouco tempo uma banda de carreia não muito recente: a U.D.O. No post Coleção de hoje, vou falar um pouco sobre a história da banda e destacarei o meu álbum favorito, relançando recentemente em vinil remasterizado, o Animal House (1987).
A U.D.O. começou em 1987 e, desde então, conquistou uma presença global com um som puro e a voz inconfundível de Udo Dirkschneider, intimamente ligado anteriormente ao Accept. A carreia de Udo no Accept foi marcado com clássicos como "Breaker" (1981), "Restlessand Wild" (1982) e "BallstotheWall" (1983) e, após o rompimento em 1987, uma grande comunidade de fãs seguiu Udo Dirkschneider na nova banda UDO. (Nota: U.D.O. refere-se a banda e Udo ao vocalista Udo Dirkschneider).
Começando com os primeiros álbuns "Animal House", em 1987 e "MeanMachine", em 1989, o U.D.O. provou ser Heavy Metal puro, sem quaisquer influências "Trend-som". Ambos os álbuns, seguiram a mesa linha do Accept no último álbum de 1986, "Russian Roulette".
"Animal House" foi gravado com Peter Szigeti (guitarra), Frank Rittel doWarlock (baixo), Mathias Dieth do Sinner (guitarra), Thomas Franke (bateria) e claro, UdoDirkschneider (vocalista).
Acho que não cabe dizer se o álbum é melhor ou pior que o som do Accept, mas é válido ressaltar que "Animal House' é um trabalho de produção impecável, com todos os acordes nos lugares, com os vocais elegantes e cativantes de Dirkschneider.
Os arranjos das guitarras são excelentes, com riffs precisos e marcantes, além de solos memoráveis. Chega a impressionar como os arranjos da guitarra de Peter e Mathias se completam: ora são rápidos e técnicos, criando passagens pesadas e mais agressivas, e ora mais melodiosos, preenchendo os espaços mais suaves das composições da banda. Além disso, o baixo marcante e agressivo de Rittel, aliado à bateria rápida de Thomas, deixaram o som da banda ainda mais cativante e preciso, demonstrando todo o potencial do conjunto.
Ademais, não há como não enaltecer o trabalho magnífico de Udo nos álbuns, pois é impressionante como um vocalista conseguiu atingir um nível de maturidade tão grande, com vocais mais graves com extrema naturalidade e facilidade.
O álbum inicia com o tenebroso e empolgante "Animal House", com o vocal rasgado de Udo e um refrão cativante. Na sequência o ritmo acelera em "Go Back To Hell", com riffs certeiros e solos inspirados de ambos guitarristas, se revezando ou tocando juntos.


Em "They Want War" a batida da bateria se destaca e dita o ritmo da música e as vozes de crianças enaltecem ainda mais o vocal de Udo, além é claro do riquíssimo solo de teclado no meio da canção (a melhor do álbum). Depois vem "Black Widow",  que já inicia bem acelerada e mantem esse ritmo até o fim.


"In The Darkness" é uma balada clássica tocante com uma letra belíssima, possui uma melodia simples na qual a voz de Udo ganha destaque em seus agudos bem trabalhados.


O Lado B já inicia quebrando tudo com "Lay Down The Law", com uma guitarra marcante de base forte e um trabalho de segunda guitarra perfeito, além do refrão pegajoso. "We Want It Loud" também inicia mais acelerada, possui riffs e solos curtos. Já "Warrior", é mais cadenciada, bem carregada, crua, contundente e visceral. "Coming Home" possuir um ritmo rápido bem construído, um vocal agressivo e um refrão poderosíssimo. É sem dúvida um dos grandes clássicos, com gritos estridentes de Udo.
E por fim o álbum fecha com "Run For Cover", minha faixa favorita, que possui uma marcação de bateria que quase se sobrepõe ao vocal de Udo.
"Animal House" sem dúvida é um primeiro passo bem sucedido de homem que se tornou o símbolo do gênero "ironman" alemão.
Quando "Mean Machine" foi lançado em 1989, o U.D.O. tinha um olhar totalmente diferente. Desde o line-up que tinha tocado em "Animal House", manteve-se além de Udo, só Mathias Dieth (guitarra). Na nova formação estavam Andy Susemihl (guitarra), Thomas Smuszynski (baixo) e Stefan Schwarzmann (bateria). ("Break the Rules")


A banda alcançou um sucesso incrível com o álbum "Faceless World" (1990) produzido pelo ex-baterista Stefan Kaufmann do Accept, sendo o álbum mais vendido da U.D.O. até o momento. ("Heart of Gold")


Depois veio "Timebomb", em 1991, com novos membros: Frank Fricke agora tocava guitarra no lugar de WollaBöhm. A partir de 1992, Udo voltou aos vocais do Accept e lançou três álbuns, ficando até 1996, com o final definitivo da banda.
Para reativar o U.D.O., foram chamados Stefan Kaufmann (guitarra), Jürgen Graf (guitarras), FittyWienhold (baixo) e Stefan Schwarzmann (bateria). Uma mistura bem-sucedida, que foi melhorada com álbum "Solid", em 1997. ("Independence Day")


"Solid" foi seguido por "No Limits", em 1998, outro U.D.O-Master-Piece. As músicas são cheias de energia com Udo Dirkschneider (vocalista), Stefan Kaufmann (guitarra), Stefan Schwarzmann (bateria), Jürgen Graf (guitarra) e FittyWienhold (baixo).
Com o lançamento do "Holy" (1999), Udo e Stefan decidir voltar às raízes e obter o som mais original. A reação dos fãs e jornalistas não deixou nenhuma dúvida de que este foi o passo certo e a World Tour foi a consequência do álbum.
Há importantes mudanças na formação, na segunda parte da turnê de "No Limits" (1999), Igor Gianola, ex-guitarrista da banda suíça Gotthard, substitui Jürgen Graf. Quando o "No Limits" Tour acabou Stefan Schwarzmann saiu da banda e no Tour "Holy" (2000), Lorenzo Milani tomou seu lugar. Esta formação durou até 2004.
O álbum "Man and Machine" (2002), recebeu uma resposta um tanto morna. Apesar canções de destaque, como a faixa-título e "Private Eye", o álbum acabou por ser menos sucesso do que o seu antecessor. É notável para a desova um vídeo promo de "Dancing With An Angel", com um dueto entre Udo e Doro Pesch (Warlock).


Os dois próximos lançamentos do estúdio "Thunderball" (2004) e Mission No. X (2005) fizeram pouco sucesso e não tiveram repercussão, com turnês apenas na Alemanha, América do Sul e Europa Oriental. ("Thunderball" e "Blind Eyes")



Foi em 2007 com "Mastercutor", que U.D.O. voltou as paradas. O álbum foi o mais bem sucedido financeiramente nos últimos anos e recebido universalmente com notas altas dos críticos musicais e fãs de metal . A aparição de Udo no álbum da banda de metal finlandesa Lordi, "The Arockalypse", amentou a gama de fãs da banda U.D.O., além do lançamento do DVD ao vivo da turnê de Mastercutor, em 2008. ("The Wrong Side Of Midnight")


O décimo segundo álbum de estúdio da U.D.O., "Dominator" ("Black And White"), foi lançado em 21 de agosto de 2009 e na sequência tivemos "Rev-Raptor", lançado em 20 de maio de 2011. ("I Give As Good As I Get" e "Leatherhead")




Em 12 de setembro de 2012, Stefan Kaufmann guitarrista de longa data em U.D.O., deixou a banda por motivos de saúde. Assim, a banda ficou um tempo à procura de novos guitarrita e nesse período, eles já estavam preparando seu mais recente lançamento "Steelhammer" (2013), que trouxe os guitarristas Kasperi Heikkinen e Andrey Smirnov. Stefan continua a trabalhar nas imediações da banda e produzir bandas em seu próprio estúdio ROXX. ("Metal Machine" e "Heavy Rain")



Mantendo-se fiel à escola do mais puro e tradicional metal germânico, repleto de peso é excelentes melodias, Udo e sua banda se mostram muito inspirados nesse novo álbum. E isso se deve muito à nova dupla de guitarristas, Andrey Smirnov e Kasperi Heikkinen, que criaram aqui riffs fantásticos, daqueles que emocionam até os fãs mais antigos do estilo.


Sendo assim, o U.D.O. é uma banda com qualidade sonora indiscutível e com exceção de alguns álbuns, mantem uma regularidade de bom trabalhos. E apesar de a banda não ser muito conhecida, podemos dizer Udo Dirkschneider, esqueceu o ressentimentos com o Accept, superou a saída do companheiro de longa data Stefan Kaufmann e continua lançando álbuns magníficos, destacando sempre seu vocal excepcional, marcante e inconfundível.

Integrantes
Udo Dirkschneider – vocais (1987–atualmente)
Fitty Wienhold – baixo e backing vocals (1997–atualmente)
Francesco Jovino – bateria (2004–atualmente)
Andrey Smirnov – guitarra (2013–atualmente)
Kasperi Heikkinen – guitarra (2013–atualmente)

Banda de Apoio
Ulli Köllner - teclados (1990–atualmente)

Ex-integrantes
Peter Szigeti – guitarra (1987)
Frank Rittel – baixo(1987)
Dieter Rubach – baixo(1987–1989)
Thomas Franke – bateria (1987–1989)
Andy Susemihl – guitarra (1987–1990, 1991)
Mathias Dieth – guitarra (1987–1991, 1997)
Thomas Smuszynski – baixo (1988–1991)
Stefan Schwarzmann – bateria (1988–1991,1996–1999)
Wolla Böhm – guitarra (1990)
Frank Fricke – guitarra (1991–1992)
Stefan Kaufmann – guitarra (1996–2012)
Jorg Fisher – guitarra (1997)
Jürgen Graf – guitarra (1997–1999)
Igor Gianola – guitarra, backing vocals (1999–2013)
Lorenzo Milani – bateria (2000–2004)

Site oficial: www.udo-online.com

Músicas
Side 1
"Animal House" - 04:19
"Go Back To Hell" - 04:31
"They Want War" - 04:12
"Black Widow" - 04:29
"In The Darkness" - 04:03

Side 2
"Lay Down The Law" - 03:47
"We Want It Loud" - 04:06
"Warrior" - 04:12
"Coming Home" - 03:39
"Run For Cover" - 04:43

Música não presente no vinil
"Hot Tonight" - 04:37

Fotos do Vinil

Fotos: Diego Kloss - De Volta Para o Vinil

Nenhum comentário:

Postar um comentário