Coleção de Vinil

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Discografia 11 | Jack Johnson

Fiquei um bom tempo sem escrever resenhas devido a falta de tempo e a correria que foram esses últimos meses. Mas sem entrar muito em detalhes, vamos ao que interessa, pois hoje resolvi escrever um pouco sobre um dos melhores representantes Folk Rock e Soft Rock: o cantor, compositor e surfista americano Jack Johnson.
Jack Hody Johnson, nasceu em Honolulu no dia  18 de maio de 1975, cresceu na Baía Norte de Oahu, no Havaí e atualmente vive em Haleiwa.
O filho do surfista Jeff Johnson tomou um interesse na profissão do pai e começou a aprender a surfar com 5 anos de idade. Aos 17 anos, ele se tornou o mais novo convidado para fazer a final e surfar na Pipeline Masters de Oahu. Uma semana depois, no entanto, sua passagem como um surfista profissional terminou quando ele sofreu um acidente em Pipeline.
Jack Johnson se graduou na Kahuku High School. Ele viria a frequentar a Universidade da Califórni, em Santa Barbara e formar-se em 1997, com um BA em Estudos de Cinema. Embora Johnson tivesse aprendido a guitarra com 8 anos, começou a praticar efetivamente aos 12, mas sua paixão pela música cresceu quando fez parte de uma banda na faculdade.
Após o acidente, Jack se aproximou mais da música e durante esse período, começou a compor influenciado por ídolos como Bob Marley, Nick Drake, The Beatles, Rolling Stones, Sex Pistols, Jimi Hendrix, Tribe Called Quest, Bob Dylan, Ben Harper, Radiohead, G. Love and Special Sauce, Otis Redding, Neil Young, Tom Curren, Kurosawa, Sublime e outros.
Antes de lançar o álbum seu primeiro álbum de estúdio, Jack Johnson fazia apenas filmes de surfe. A ideia lhe rendeu um documentário "Thicker Than Water", dirigido por ele, gravado a partir de uma aventura ao redor do mundo com amigos. Em 1997, o documentário ganhou o título de documentário do ano pela revista Surfer.
http://jackjohnsonmusic.com/
Jack Johnson ainda fez mais 2 documentários, ambos também sobre surf: "A Broken Down Melody" e "September Sessions". O próprio Jack compôs as trilhas sonoras dos documentários, incentivado por amigos como Ben Harper que o indicou para uma grande gravadora. Assim, Jack gravou seu primeiro álbum "Brushfire Fairytales" em 2001 e, a partir daí ganhou grande notoriedade a nível mundial e por esse motivo Ben Harper é também considerado o "Padrinho" de Jack Johnson.
Com um trio de guitarra, baixo e bateria, "Brushfire Fairytales" é um álbum acústico de ponta a ponta, podendo ser comparado com os álbum do cantor e compositor James Taylor, com uma beleza descontraída e profundidade discreta que premia a escuta repetida. O álbum é incrível simples no seu minimalismo, pois mantém a atenção sem soar comercial. Jack Johnson tem algo a dizer em letras às vezes enigmáticas e tem um talento especial para baladas acústicas. Os títulos das músicas não fazem sentido ou tem relação uns aos outros, embora sejam em sua maioria sobre o jovem adulto a procura da alma e sobre relacionamentos.
A voz de Johnson é um fluxo suave com uma confiança diferente, suas letras são divertidas, tristes e políticas.


Johnson voltou para o estúdio com Adam Topol (bateria, percussão) e Merlo Podlewski (baixo) e Mario Caldato Jr na produção, para gravar seu segundo álbum "On and On" em 2003. Foi o primeiro álbum a ser gravado no Mango Tree Studio do próprio Johnson, na cidade natal em Oahu e o primeiro a ser lançado pela The Moonshine Conspiracy Records.
O segundo álbum é mais orientado para o Blues. Parte disso pode ter contribuído para a mensagem global de "On and On", pois ao invés de abordar os temas das canções como "culpa somente do governo e das notícias, Jack também admite a partilha da culpa". Além disso, as músicas soam diferente porque há uma distinção maior entre as modulações de música para música, que por sua vez, torna-se uma impressionante coleção de pequenos riffs, melodias e letras.


As batidas suaves são seguidas de tapas suaves em seu violão, enquanto ele entrega uma saraivada constante de palavras. Mas onde está a levada de Blues? Para entender do que estou falando você precisa ouvir mais atentamente "Taylor", pois é uma das músicas mais viciantes, pois Jack leva seus ouvintes a seguirem seus sonhos e torná-los uma realidade.


Em outubro de 2004, Johnson voltou para a Mango Tree Studio com Topol e Podlewski junto com Zach Gill que toca o acordeon, escaleta e piano, para gravar o seu "In Between Dreams", lançado em 01 de março de 2005.
 "In Between Dreams" é a obra-prima de Jack Johnson, na minha opinião. A melodia das canções é cativante, as letras são agradáveis e suaves, além da boa progressão de acordes e arranjos belíssimos,
não havendo necessidade de solos. As letras são baseadas em situações da vida, Jack Johnson parece estar em seu próprio mundo, pois a guitarra combina com as letras e seu significado.


Johnson se juntou com o cineasta JP Plunier para fazer seu quarto álbum de estúdio "Sleep Through the Static", gravado usando 100% de energia solar. O álbum contou com Gill (teclas), Podlewski (baixo) e Topol (bateria, percussão). "Sleep Through the Static" foi lançado em 01 de fevereiro de 2008 e foi seguido por uma turnê mundial. Um álbum ao vivo e DVD da turnê mundial de 2008 de Johnson, intitulado En Concert, foi lançado em 27 de outubro de 2009, dirigido por Emmett Malloy.


Mesmo antes de ser lançado, "Sleep Through The Static" ia ser um álbum de definição para Jack Johnson. Claro que todos nós esperamos músicas com slaps de guitarra acústica e letras suaves, mas como todos nós sabemos muito bem, os artistas tendem a variar seu som em alguns álbuns.
A variação do novo som de Johnson é exemplificado perfeitamente na faixa de abertura "All At Once". Ele abre com uma guitarra elétrica limpa arejada, com tambores adicionados e licks de órgão entrando mais tarde na música. Jack mantém sua voz assinatura, cantando algumas letras típicas, mas imprime os mesmos ritmos suaves em um ambiente mais elétrico. À primeira vista, não parece ser uma ideia tão criativa, mas ao ouvir o álbum, percebe-se que esse método é bastante eficaz.



Johnson liderou os Festivais Kokua (2004-2008 e 2010). Estes seis anos de festivais dão apoio à Fundação Kokua Hawai'i, que é uma organização de caridade que apoia a educação ambiental nas escolas e comunidades do Havaí. "Kokua Festival 2004/2005" foi um DVD lançado por Jack Johnson, que apresentou os primeiros Festivais Kokua. Ele também participou com Willie Nelson, Jackson Browne, Dave Matthews, Eddie Vedder e outros, no documentário "Kokua 2008 - 5 Anos de Mudança" (2009), produzido pela Brushfire e exibido no Sundance Channel.
Em 1 de fevereiro de 2010, o site oficial da Johnson anunciou que o seu quinto álbum de estúdio "To The Sea" estava em processo de gravação no Mango Tree Studio, com um lançamento mundial planejado para a primeira semana de junho de 2010. O site também anunciou uma turnê pela Europa, Austrália e Nova Zelândia.



Ao falar com a estação de rádio ZM, na Nova Zelândia, Johnson disse que estava com o objetivo de construir relacionamentos com grupos locais pró-ambiente, sem fins lucrativos. "Tentamos levantar dinheiro para um monte desses grupos que estão fazendo coisas positivas na comunidade. Tentamos focar principalmente na educação ambiental, apenas tentando obter as crianças para a natureza, apoiando fazendas locais e coisas desse tipo."
Em "To the Sea" a despretensão continua sendo a marca registrada de Jack, musicalmente no formato “eu, meu violão e uma banda” e artisticamente na imagem de um cara “gente boa que conversa com todos, um surfista preocupado com o meio ambiente”.
O trabalho foi produzido, gravado e mixado nos estúdios Mango Tree (Havaí) e Solar Powered Plastic Plant (Los Angeles). Ambos têm em comum o fato de funcionarem 100% a base de energia solar. O álbum foi inteiramente encartado com material reciclado, certificado pelo FSC (Conselho Manejo Florestal).
Questões ambientais à parte, musicalmente o álbum é tão legal quanto os outros. Puxado pelo já hit “You And Your Heart”, o trabalho traz a tradicional sonoridade do artista: Soft Rock com um pouco de Folk.
O violão manda e desmanda nos arranjos instrumentais e Johnson continua cantando de maneira espontânea e bem à vontade.


Em 1 de fevereiro de 2010, Johnson confirmou presença no Festival de Glastonbury de 2010. Ainda na divulgação do álbum, Johnson fez uma grande turnê pelos Estados Unidos, Canadá, Europa e Ásia. Já no começo de 2011, ele anunciou que faria oito shows no Brasil (São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Porto Alegre, Florianópolis e Rio de Janeiro), com a abertura dos shows feitas pelo amigo e cantor G. Love. Toda a renda das apresentações do músico no Brasil foram doadas à instituições de caridade.
Johnson lançou em 17 de setembro de 2013, um seu mais recente álbum "From Here to Now to You". Em 15 de junho de 2013, Jack e a banda se apresentaram como atração principal no Bonnaroo, no Tennessee. Ele também tocou em dois concertos acústicos, uma no Tabernáculo de Londres em Notting Hill, e outro em Nova York no Lincoln Center, com vista para o Central Park.
O álbum aborda temas da vida cotidiana, suas canções fazem alusão a reacender o amor, ser empático, incentivar a imaginação e refletir sobre a vida.


A maioria das canções do álbum são jogados em uma afinação B-flat aberto, o que dá ao álbum de 12 faixas de um som coeso do início ao fim. Não há nada de novo, pois essa simplicidade é exatamente o que os fãs esperam.
Tratando um pouco da vida pessoal, Jack Johnson se casou com sua namorada da faculdade Kim em 2000. Eles têm três filhos: dois meninos e uma menina. Johnson ainda vive na ilha de Oahu, no Havaí. Em uma entrevista com Johnson, Ann Donahue da Billboard descreveu a vida da família de Johnson, dizendo: "Muitas vezes há dificuldade em equilibrar a vida de um artista, ambientalista, e homem de família, mas Johnson parece ter o nicho para tal desafio. Desta vez, ele encontrou um ritmo que concorda com ele ... trazendo sua família junto, para que ele possa passar as manhãs com eles passear. " Tanto Johnson e sua esposa se ​​recusam a falar ou divulgar qualquer informação íntima sobre os seus filhos.

http://jackjohnsonmusic.com/
Em 2008, Johnson e sua esposa Kim criaram a Johnson Ohana Charitable Foundation, uma instituição de caridade pública sem fins lucrativos de apoio a arte, música e educação ambiental em todo o mundo. Jack e Kim Johnson também fundaram a Fundação Kokua Hawaii em 2003. Johnson e sua família trabalham duro todos os anos em festivais e concertos para levantar dinheiro para causas que consideram mais importantes. Ao falar sobre Johnson e suas escolhas de carreira, Rolling Stone escreveu: "É um movimento tipicamente generoso de Johnson, que tem usado seu sucesso multi-platina para apoiar causas que ele se preocupa." Jack também apoia causas humanitárias e ajuda cidades atingidas por desastres naturais.
Em resumo, Jack Johnson é aquele cara que você escuta quando está tendo um bom dia, quando a chuva está lá fora e você está no aconchego da sua casa. Também é aquela música para aquelas ocasiões especiais, entre você é a pessoa amada, bem como, para curtir com um pequeno grupo de amigos.
Ele se apropria com maestria de melodias mais serenas e profundas e vocais reconfortantes, além de compor letras são agradáveis e suaves com boa progressão de acordes e arranjos belíssimos.
Clipes retirados do canal do Jack Johnson, para ver mais acesse <https://www.youtube.com/user/JackJohnsonVEVO>

Integrantes
Jack Johnson – Vocal, guitarra / violão
Adam Topol – Bateria, percussão
Merlo Podlewski – Baixo
Zach Gill – Piano / Escaleta

Discografia

Estúdio
Brushfire Fairytales (2002)
On and On (2003)
In Between Dreams (2005)
Sleep Through the Static (2008)
To The Sea (2010)
From Here to Now to You (2013)

Ao Vivo
En Concert (2009)
Jack Johnson and Friends – Best of Kokua Festival (2012)

Fotos dos vinis

In Between Dreams (2005) - Fotos: Diego Kloss


From Here to Now to You (2013) - Foto: Diego Kloss
















As fotos, capas, álbuns, vídeos e músicas são todos de direitos reservados à Jack Johnson, as gravadoras e aos fotógrafos que as produziram. O De Volta Para o Vinil utiliza dessas, apenas para divulgação do álbum ou do artista abordado na resenha. 

Um comentário:

  1. Cara excelente resenha.. sou fã dele desde quando vi o clipe do Sitting, Waiting, Wishing.. mais acho que até muito antes quando eu vi o filme george curiosso.. ele faz parte da trilha.. Acho um dos melhores músicos folks.. ele tem melódias agradáveis , boas..Até hoje eu quero ir para o Havai..deve ser sensacional.. Enfim boa resenha..

    ResponderExcluir